Judith – Uma Joana

|PT| Judith – Uma Joana
Peça criada para a exposição + RESPEITO, na Apaixonarte. Uma colectiva composta por 10 artistas, (Adamastor, Gonçalo Mar, Jorge Coelho, Margarida Fleming, Pedro Zamith, Ricardo Ladeira, Rita Ravasco, SAMINA, Tamara Alves e Uma Joana), que pretendeu em modo de balanço do ano de 2019, reflectir sobre o número de vítimas de violência doméstica em Portugal. Apelando a um olhar mais atento, focado nas soluções, para a criação de espaço para
+ RESPEITO.
50% do valor das vendas reverte para a Associação UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, que defende a igualdade de género em Portugal, há mais de 30 anos.
Grafite sobre papel.
Moldura Incluída.

Certificado de Autenticidade.
Peça Única de 2019.
Dimensões – 42 x 59,4 cm

 

 

|EN| Judith – Uma Joana
A piece created for the exhibition + RESPEITO (RESPECT), at Apaixonarte. A collective composed of 10 artists, (Adamastor, Gonçalo Mar, Jorge Coelho, Margarida Fleming, Pedro Zamith, Ricardo Ladeira, Rita Ravasco, SAMINA, Tamara Alves and Uma Joana), who wanted to reflect on 2019 the number of victims of domestic violence in Portugal. Appealing to a closer look, focused on solutions, to create space for
+ RESPECT.
50% of sales value goes to the UMAR Association – Union of Women Alternative and Response, which has been advocating gender equality in Portugal for over 30 years.
Graphite on Paper
Frame included
Certificate of Authenticity.
2019 Unique Piece.
Size – 42 x 59,4 cm

 300.00

Add to wishlist
SKU: +R10 Category: Tags: ,

|PT| Judith – Uma Joana
“Uma” , porque eu sempre vivi rodeada por outras “Joanas” – e, como ainda não descobri como ser “A”, em vez de “Outra”, optei por mantê-la. dessa maneira.
Tenho muito mais dúvidas quanto à certeza sobre meu corpo de trabalho, embora, apesar de tudo, exista um claro apelo e fascínio por melancolia e saudade – e, talvez por causa disso, toda vez que tento ser engraçada, falho miseravelmente.

 

|EN| Judith – Uma Joana
“Uma” (“A”, english) because I’ve always lived surrounded by other “Joanas” – and, since I still haven’t found out how to be “The”, instead of “Another”, chose to keep it that way.
I have a lot more doubts that certainty about my body of work, although, through it all, there’s a clear appeal and fascination about melancholy and longing – and, maybe because of it, every time I try to be funny, I fail miserably.

Weight 4800 g